Exibindo a forma humana como escultura, não, péra… é foto

LovisOstenrik3

fotografa corpos contorcidos em poses poéticas. Seus cliques monocromáticos se tornam ainda mais poderosos com seu estilo minimalista.

Exibindo a forma humana como escultura (vendo de primeira achei mesmo que fossem), ele manifesta interesse pelo movimento, explorando os ângulos naturais e as formas “surreais” que o humano é capaz obter.

Direto de Berlim, Lovis explora questões existenciais em seus diálogos imagéticos com o público, e também aborda tabus sociais em torno da nudez.

 

LouisOstenrik

 

LovisOstenrik1

 

LovisOstenrik2

 

LovisOstenrik4

 

LovisOstenrik5

 

LovisOstenrik6

 

LovisOstenrik7

 

LovisOstenrik8

 

LovisOstenrik9

|via Ideia Fixa

 

Salvar

Erica Simone: Porque é que precisamos de roupa?

Erica Simone, uma fotógrafa franco-americana, pegou no seu tripé e fotografou-se nas ruas de Nova Iorque sem roupa, sem pudor ou preconceito, tudo para responder a uma pergunta: “porque é que precisamos de roupa?”.

As fotos representam algumas das tarefas diárias de Simone, uma ida à tabacaria para comprar cigarros, ir às compras, apanhar um táxi ou o metro, fazer uma chamada num café ou mesmo tirar uma selfie em plena Times Square. Tudo muito normal à excepção de que a fotógrafa aparece nua, o que não parece afectar quem está à sua volta. Assim, o projecto floriu e “com um tripé e uma boa dose de adrenalina, passeei e senti as ruas inquietas de Nova Iorque nua” e o objectivo não é exibir-se mas sim “explorar aspectos interessantes da nossa sociedade”.

“Ageless Beauty”: mulheres com mais de 45 anos posam nuas

“Queria mostrar às mulheres – apesar daquilo que a sociedade lhes diz – que envelhecer apenas as torna mais fortes e bonitas, e que deviam assumir isso”, explicou o fotografo Demetrius Fordham ao jornal Huffington Post’.

Abaixo depoimento de duas modelos

“Beleza é ver o processo orgânico dos efeitos do tempo e das experiências, quer seja o intemperismo de um objeto inanimado, ou o envelhecimento de um ser vivo. O uso, as cicatrizes, a descoloração de todas as coisas, representam beleza para mim”, disse Victoria, 50.

“Faço 49 anos em abril, mas a idade é apenas um número – a saúde, energia e alegria da vida são os verdadeiros indicadores da idade. A beleza é uma ilusão, o equilíbrio harmonioso efémero de elementos, o yin e o yang e a energia do amor, como percebido através dos nossos seis elementos”, acrescentou Masha, 48.

 

A forma do corpo humano é inegavelmente escultural

“O espírito é tão vazio e cego que não pode reconhecer o fato de que o pé é mais nobre do que o sapato, e pele mais bonita do que a roupa com a qual está vestida?” – Michelangelo

Artistas de todas as épocas foram celebrados pela criação de retratos precisos e inspiradoras da forma humana. Em pinturas e esculturas, as proporções elegantes do corpo humano são reconhecidos por sua milagrosa beleza. Colocamos grandes artistas em pedestais pela sua genialidade, mas muitas vezes não conseguimos reconhecer que esses grandes artistas estão colocando você e eu – e toda a humanidade – em um pedestal. Estas obras de arte são transcendentes tentativas para imortalizar, celebrar e imitar o milagre do corpo humano, uma vez que já é: perfeitamente formado … vivendo e respirando … como você e eu.

Ao visualizar estas imagens, somos convidados a considerar a perspectiva do artista, em vez de a obra de arte por si só. Imagine as linhas e as formas de seu próprio corpo visto como um milagre … dignas de estudo, contemplação, exploração e imitação. Suba em um pedestal e imagine-se através dos olhos de arte.

Texto: David Bollt, Fundados do Model Society.