Ensaio de moda inspirado em refugiados

Oportunismo ou má interpretação? O fotógrafo diz que não pretendia glamourizar o problema social, mas fazer as pessoas pensarem sobre.

Um ensaio de moda inspirado na crise migratória feito por um fotógrafo húngaro gerou polêmica e está sendo acusado nas redes sociais de ser ofensivo e de glamourizar um problema social.

As imagens mostram uma modelo com roupas de marca, celular com capa da marca Chanel e lenço no cabelo em frente a uma cerca de arame farpado. Em algumas fotos, ela aparece “sendo presa” por um policial. Ela também aparece com parte dos seios à mostra em algumas cenas.

O ensaio, batizado de “Der Migrant” (O migrante, em alemão), foi chamado de “oportunista” e “doentio” e por usuários das redes sociais.

O fotógrafo, Norbert Baksa, enviou uma mensagem ao G1 com suas explicações sobre o trabalho. Ele diz que os críticos não entenderam a mensagem e estão “tirando conclusões baseadas em informações parciais e tendenciosas”.

“O ensaio não pretende glamourizar essa situação claramente ruim, mas chamar a atenção para o problema e fazer as pessoas pensarem sobre ele”, afirmou.

Baksa afirma que normalmente se recusa a abordar tópicos políticos, mas escolheu o tema desta vez por ser uma situação que “afeta a rotina diária de praticamente todo mundo na Hungria”.

“Nós nunca pretendemos ofender ninguém, apenas chamar a atenção para a complexidade desse problema. Durante a sessão, demos o nosso melhor para respeitar a fé e a convicção das pessoas e não cruzar certas barreiras”, escreveu, acrescentando que as fotos mostram “uma mulher sofrendo, que é também bonita apesar da sua situação, usa roupas de alta qualidade e smartphone”.

Por enquanto o ensaio foi publicado apenas em suas contas no Twitter e no Instagram, mas o fotógrafo afirma ter recebido convites de publicações em vários países com interesse nas imagens.

Fonte: G1 (nunca leia os comentários)